Qual seu maior medo?

Medo, medo..

É a terceira ou quarta vez que começo um texto inacabado com essa mesma primeira linha nos últimos dois meses. Seria um fato interessante, se não fosse verdadeiro..

Não consigo me lembrar antes desse tempo o que era sentir medo. Não que eu nunca tenha sentido, não nasci super-heroi (infelizmente), mas o medo no sentido literal da palavra eu  realmente não me lembro.  O que chegou mais perto foi a ansiedade do primeiro dia de aula, nervosismo de mudar pra São Paulo e o frio na barriga antes de alguma situação qualquer. Agora medo? Ah..

Sinto medo de algumas coisas abstratas, todo mundo sente. Medo de ficar sozinha, medo de morrer antes de fazer tudo o que planejo, medo de cobras. Esse último é o mais real que tenho, mas como não vivo em florestas e Butantas da vida, eu quase nunca me lembro.

Minha história com cobras é engraçada. Quando era pequena eu sonhava em ser veterinária, até que um dia meu pai me perguntou: “Como é que você vai fazer quando chegar uma cobra para você cuidar?”. A partir daquele dia eu jurei para mim mesma que não seria mais veterinária e nunca mais quis essa profissão.  Algumas vezes, ainda quando criança, antes do dormir eu imaginava que tinha jacarés, crocodilos e principalmente cobras ao redor da minha cama. Esse pensamento fazia eu me embrulhar entre os cobertores e não sair de lá até alguém chegar, não importa a sede, fome ou vontade de ir ao banheiro. Essa mesma sensação, ás vezes, ainda aparece, mas não me dou ao luxo de ter que esperar alguém para me salvar. Morando apenas com uma amiga, 19 anos nas costas e com uma lista grande de coisas para fazer, a situação toda fica mais complicada.

Esse texto, como eu já disse, vem de várias tentativas e re-começou ontem antes de eu dormir, mas como sempre não passou da quarta linha. Só que na mesma noite eu sonhei que fui mordida por uma cobra.

Durante meu sonho, eu lembro que alguém chegou com a criatura, daquelas bonitas, grandes e verde-quase-limão. Ela me chamava, me seduzia. Decidi enfrentar o medo e passar a mão nela. Ela me mordeu. A mordida, no entanto, era carinhosa. Não senti dentes. Não senti dor. A sensação era a de uma criança com apenas alguns meses de idade engolindo minha mão. Parecia mais uma luva em meus dedos  do que realmente um ataque.

Imagem

Acordei assustada. Ainda sentia a sensação na minha pele. Hoje, quase pronta pra dormir novamente, ainda sinto o mesmo movimento, a mesma reação daquele gesto. É como se de uma-em-uma-hora ela me mordesse de novo e de novo e de novo para me lembrar do sonho. E eu lembrei.

Lembrei do medo que venho sentindo. Da vontade de deitar na cama e não sair nunca mais. Das mãos tremendo e do receido de ser engolida, mais uma vez, por uma cobra. E ser esquecida  e ser deixada. E ter que lidar com o mundo e ter que enfrentar tudo, sozinha. E acordar todos os dias com as esperanças renovadas, com o medo pisoteado. E de como tudo isso é difícil.

Dessa vez não há conclusão. O texto acaba com algumas (muitas) linhas a mais do que ontem, mas sem final. Não sei o que o meu sonho significou. Não sei o porquê, a razão. Não sei se me dizia, de alguma forma, para enfrentar tudo o que venho sentido. A nova faculdade. O desespero de não conseguir lidar com tudo. A rejeição. A poluição mental da grande capital. Só sei que hoje me senti viva. Tive que me concentrar, lidar com esse sentimento chato dos filmes de terror. Durante a tarde, estava cansada e decidir tirar uma soneca. Peguei meu edredom verde favorito, travesseiro e me deitei no chão/tapete. Imaginei algumas cobras ao meu redor,  mas dormi muito bem.

Nesse momento espero minha carona para minha cidade natal enquanto (finalmente) termino esse texto. Essa noite eu dormirei na minha cama de verdade, longe dos prédios acizentados e dos grandes problemas. Dormirei na mesma cama de quando eu era pequena em que eu ouvia o barulho de répteis se mexendo ao pé da cama. Só que hoje, pela primeira vez, me deu vontade completamente estranha de sonhar com cobras..

Obs:

Enquanto procurava a foto da tal cobra, me deparo com um site explicando sonhos com cobra verde. Eis que está escrito:

Quando a cobra que aparece em seus sonhos for verde significa que ninguém conseguira te prejudicar. Esse tipo de sonho também representa sorte e dinheiro. Quando sonhamos com cobra muitas vezes ficamos com medo e imaginamos que seja algo ruim que está para acontecer, mas quando a cobra é verdade todos os seus significados são positivos não importa a maneira que ela aparecera em seu sonho.

Não sei, mas achei legal compartilhar.. É, boa noite!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s