ô sp..

     –

Durante muito tempo briguei com São Paulo. A cidade, que parecia a solução de todos os meus problemas, acabou se transformando em mais um item da lista – e dos grandes.  A poluição se tornou parte do meu cenário. Um dia azul passou a ser cinza. Os barulhos interferem na voz da própria consciência. Não existe a luz no fim do túnel, porque ele esta congestionado.

Foi assim que vivi durante um tempo. Dormindo de dia, quase-chorando de noite. Não me deixava ser tocada por esse ar, que achava eu, ser feito apenas de substâncias tóxicas. A decepção de descobrir que a cidade grande é apenas mais uma cidade, foi maior que os prédios da Paulista. Foram tempos dificeis, eu confesso, mas a falta de preocupação da capital com os milhares de habitante que ela (não) acolhe, me obrigou a crescer.

Chove mais uma vez lá fora e da jus ao nome ‘terra da garoa’. Esse tempo poderia servir como desculpa (igual sempre acontece) para me enrolar entre os cobertores, travesseiros e pelúcias – minha única companhia. Só que hoje me deu vontade de viver e dessa vez nem o trânsito da Vinte e Três de Maio será capaz de me parar.

(the traffic stops and starts
but i need to move alone
São Paulo calls me a stranger,
this is now my home..)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s