Nosso mundo.

Desde segunda-feira venho me escondendo do mundo. Deitei no meu sofá, local que me sinto mais segura, peguei meu cobertor com-cheiro-de-casa e por lá fiquei, revezando entre dormir, pensar, chorar ou ver filme. Foi a maneira que encontrei de lidar com as dificuldades impostas no caminho. Parece idiota dizer isso em voz alta, mas me coloquei na insignificância do mundo, ou seja, exatamente como estava me sentindo. O mundo não parecia mais um lugar seguro.

Não consegui sorrir e senti raiva de quem sorria. Não entendi como era possível festejar, voltar a rotina, viver, se uma parte minha estava deitada em uma cama de hospital. Digo parte minha porque minha cabeça esta lá, meu pensamento esta lá, meu coração esta lá. O mundo deveria parar, dar uma trégua. Eu sempre fui meio dramática e intensa igual a minha outra parte e eu precisava me obrigar a sentir 1% do que ela vinha sentindo. Porque quando chegasse a hora encararíamos o mundo juntas, olhando para o sol como se fosse a primeira vez.

Hoje precisei sair de casa, as obrigações se acumularam. Eu farei o que tenho que fazer, vestindo minha armadura e com óculos de sol. Ainda não sou capaz de voltar ao mundo real e olhar para o céu, não chegou a hora. Sinto o tic tac do relógio pulsando, mas não tenho medo. O tempo é só mais uma arma dessa luta. Nada mais tem importância, porque quando chegar a hora, a luz do sol vai brilhar e nunca mais viveremos na sombra.

E faremos o nosso mundo, do jeito que ela quiser.

(temos nosso próprio tempo..)

Anúncios

Um comentário sobre “Nosso mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s